“Conhecer os Nossos Atletas” - Guilherme Nunes: “Se pudesse, nadava o dia inteiro”

Guilherme sonha vir a ser atleta olímpico

Guilherme Oliveira Nunes – ou simplesmente Gui, como é tratado pelos amigos – é um apaixonado pela Natação, que praticou ao longo de 10 anos consecutivos (começou com 5/6 e iniciou a competição por volta dos 7). Depois de uma paragem de 2 anos – tendo nadado fora do Faial ao longo de meio ano – recomeçou na Secção de Natação do Clube Naval da Horta (CNH) há 1 ano. E confessa que aquilo de que mais se arrepende é precisamente dessa paragem, que o fez perder o ritmo. “É difícil voltar à forma, mas sei que vou conseguir. Tenho a certeza de que quero manter a Natação ao longo da minha vida e, se, possível, daqui a algum tempo, alcançar um título nacional”.

Este jovem, em pequeno foi aconselhado a praticar Natação por causa da asma o, que, em conjunto com o trompete, ajudaria – segundo as orientações médicas – a abrir a caixa toráxica. Assim, paralelamente a um nadador, tínhamos, também, um trompetista. “Toquei durante 10 anos, no Conservatório, com o meu professor favorito: Yuri”.

Se pudesse, Guilherme passava os seus dias só a nadar, mas a verdade é que, pelo menos para já, as suas rotinas são outras. Uma delas é, inevitavelmente, a escola. “Gosto de aprender, mas não gosto de estudar. Encontro-me em Artes por se revelar uma área mais prática”.

Um exemplo para os colegas

O atleta mais adulto da Secção de Natação do CNH, com 19 anos, tem ocupado o pódio dos melhores nos Açores e funciona como um exemplo e um incentivo para os colegas. Sempre que participa em provas regionais, traz uma ou duas medalhas para o Faial, sinal de que o seu árduo trabalho é recompensado. Contudo, deixa este desabafo: “Nos Regionais, a fasquia é outra, por isso gostava que na minha equipa houvesse alguém com o meu nível a fim de possibilitar luta mais renhida mas, infelizmente, no Faial isso não acontece. Contudo, tenho colegas que puxam por mim, como o Tomás, o Afonso, o Luís e o Vieira. Eles nadam rápido nos seus estilos e quando os vejo a aproximar-se, acelero ainda mais. Aliás, são eles que me fazem querer acelerar mais... e mais!”

guilherme nunes 3

Este nadador do CNH gostava que os jovens faialenses aderissem mais a esta modalidade  

Por isso, quando se lhe pede para apontar um objectivo válido, o capitão de equipa responde de imediato: “Bater os meus recordes”.

Guilherme Nunes acalenta o sonho de vir a ser atleta olímpico e os treinos a que se sujeita e a forma como trabalha e puxa pelos colegas, são a prova de que leva a Natação muito a sério.

“Faço parte da turma dos atletas que treinam às 7 da manhã e nado várias horas por semana. Nos dias em que treino de manhã e à tarde, sinto-me muito melhor nas aulas”.

“Obrigado por esta equipa tão unida e solidária” 

Na opinião deste nadador exemplar do Clube Naval da Horta, a Sílvia é a Treinadora “mais exigente, querida e interessada” que já conheceu ao serviço do CNH (por isso até é chamada a mãe de todos), mas sublinha que Lúcio Rodrigues o marcou. “Ele puxou por mim ao longo de 10 anos! Se não fosse ele, não seria o nadador que sou hoje, e por ele nunca tinha parado.”

Esta é a última época de Guilherme Nunes como atleta do Clube Naval da Horta, que, por isso, fez questão de deixar uma mensagem aos seus amigos e companheiros de Natação, à Treinadora e ao CNH: “Como não falta muito tempo para vos abandonar, quero agradecer a todos por estes últimos anos em equipa. Tenho de admitir que, quando regressei, não estava à espera de deparar-me com uma equipa tão unida e solidária e, quando estiver cá de férias, espero ver campeões regionais!

Com a Treinadora Sílvia Mendonça houve um grande impulso no desempenho dos atletas e na própria imagem da Natação do CNH.

A maior parte das pessoas do Clube serão uma lembrança para a vida e, futuramente,  espero encontrar-vos em provas de Natação.

O Clube Naval da Horta é muito importante para mim e considero que a Natação contribuiu para que eu me transformasse na pessoa que sou hoje: saudável e responsável”.

treinadora silvia nunes

A Treinadora Silvia é tão querida que todos os nadadores a chamam de mãe

guilherme nunes e colegas cnh

Afonso (Guilherme), Tomás e Diogo têm no amigo e colega um exemplo que os motiva, mas a verdade é que eles também puxam muito pelo Gui

O que poderia melhorar

Guilherme defende que, “se todos os nadadores tivessem equipamento igual ajudava a criar um espírito de união e de equipa, como acontece com os clubes de outras ilhas”.

Além das palas e dos elásticos – que já são uma realidade – “a existência de barbatanas de natação também viria ajudar a impulsionar as pernas no sentido de ganharem resistência e força”, afirma este nadador, que vai mais longe: “Caso o CNH pudesse contar com os serviços de um fisioterapeuta seria o ideal, mas um massagista já era muito bom, no sentido de ajudar a debelar as lesões”.

A adesão de mais pessoas a este desporto, é um aspecto pelo qual Guilherme sempre se debateu tendo, mesmo, chegado a convidar outros jovens, mas a verdade é que a exigência da modalidade não cativa qualquer um.

Voluntariado e transmissão de conhecimentos

menino cidade cabo

Guilherme Nunes: “Como este menino era brincalhão, gostava de fazer traquinices com ele. Foi uma das crianças com quem passei mais tempo em África”

O voluntariado faz parte integrante da vida deste jovem, que também gosta de ler. Depois de ter feito um intercâmbio na Dinamarca, ao longo de um ano, o que lhe permitiu conhecer a cultura daquele país, no ano transacto Guilherme abraçou outro projecto, desta feita na Cidade do Cabo, África do Sul. “Fiz trabalho de voluntariado na área do desenvolvimento desportivo, durante 15 dias, e que passou por ensinar e ajudar crianças a nadar e a surfar. Nós, voluntários, éramos divididos por grupos e ficávamos alojados em diferentes casas. Conheci um menino, que era filho de uma das empregadas, e, como era brincalhão, gostava de fazer traquinices com ele. Foi uma das crianças com quem passei mais tempo”.

Anteriormente, este jovem tinha feito um curso de Verão nos EUA, na vertente das artes. “Como gosto de viajar e, também, de ajudar os outros, estes projectos são ideais para mim. O montante que é necessário investir em termos de inscrição, digamos assim, é canalizado para organizações desses países e aplicado em programas de desenvolvimento”.

Depois destas revelações, é com naturalidade que Guilherme diz que o seu futuro poderá passar por integrar missões em Organizações Não-Governamentais (ONG’s), nas Nações Unidas (ONU), integrar os Fuzileiros, a Polícia (unidade cinotécnica) ou até ser nadador olímpico, tendo sempre subjacente o espírito de servir.

placard macaco cidade cabo

Tal como encontramos avisos à entrada da praia de Porto Pim alertando para a existência de alforrecas e caravelas, na Cidade do Cabo o cuidado a ter é no sentido de evitar um encontro com um tubarão. Os macacos são uma presença habitual por aqueles lados

Futuro

Guilherme concluiu o Curso de Nadador-Salvador em Junho de 2017, tendo trabalhado no Algarve, durante o último Verão. De partida para o Continente português já no próximo mês de Junho, este jovem pretende ir trabalhar novamente como nadador-salvador, desta vez no Alentejo, mais precisamente na “Associação de Nadadores-Salvadores de Grândola - Seagull Rescue”. Depois disso, o passo seguinte deverá ser a candidatura ao Instituto Superior de Polícia e, se possível, em Dezembro voltar ao voluntariado. “Quero regressar a África, porque essa experiência mostrou-me uma realidade que, apesar de me ter chocado, fez-me compreender que vivemos mesmo numa bolha. Ajudar aqueles miúdos é realmente compensador, pois, quando penso na minha infância, sinto que fui tratado como um príncipe em comparação com a situação deles”.

O Faial passará, assim, a fazer parte do programa de férias deste atleta, que jamais esquecerá a ilha e tudo o que ela encerra de bom, onde ele foi muito feliz.

Guilherme: foi um grato prazer ter contactado contigo e perceber que, além de uma vontade incessante de alcançar a excelência, superando os teus próprios limites, encerras uma componente humanitária e de voluntário muito nobre. Desejo, sinceramente, que consigas conciliar todas essas vertentes na tua vida que, certamente, será muito preenchida e diversificada, deixando vir à tona o melhor de ti como ser humano, atleta, profissional e voluntário.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.