CNH associa-se às comemorações do 24º aniversário da Associação de Pais e Amigos dos Deficientes da Ilha do Faial

O Clube Naval da Horta é parceiro da Associação de Pais e Amigos dos Deficientes da Ilha do Faial, que esta sexta-feira, dia 10, comemora 24 anos de existência

À semelhança do que vem acontecendo anualmente, uma vez mais o Clube Naval da Horta (CNH) associa-se às comemorações do aniversário da Associação de Pais e Amigos dos Deficientes da Ilha do Faial (APADIF), entidade de que é parceiro.

O 24º aniversário ocorre esta sexta-feira, dia 10, mas o programa evocativo conta com actividades ao longo de Novembro.

A Regata de Vela Ligeira do 24º Aniversário da APADIF – organizada conjuntamente por esta Associação e pelo Clube Naval da Horta – que estava inicialmente marcada para este sábado, dia 11 (São Martinho), teve de ser adiada, pelo que irá realizar-se ainda este mês, em data a divulgar oportunamente.

CNH e APADIF: parceiros na Vela e não só

Atendendo a que a Horta é uma Cidade-Porto de acolhimento e abrigo para quem a visita por mar; que constitui uma paragem obrigatória para aqueles que atravessam o Atlântico; que é um ponto de encontro de culturas e vivências, que influenciam e caracterizam o seu povo na forma como recebe e acolhe; que se define como sendo uma terra de marinheiros, baleeiros e iatistas e um Centro Náutico nos Açores, funcionando como Pólo de desenvolvimento da Vela e do Desporto Náutico, neste contexto a APADIF e o CNH implementaram, em parceria, o Projecto “Vela Para Todos - Faial Sem Limites”.

Este Projecto – instituído protocolarmente a 29 de Dezembro de 2011 – visa “a inclusão de todos na prática da Vela, destruindo barreiras e preconceitos que ainda possam existir, dando o seu contributo para a construção de uma sociedade mais justa e aberta à diferença”.

A Associação de Pais e Amigos dos Deficientes da Ilha do Faial – Associação de direito privado sem fins lucrativos – no cumprimento dos princípios orientadores da sua acção e que passam, no essencial, pela defesa dos direitos das crianças, jovens e adultos com deficiência e pelo direito à inclusão, lançou-se à “aventura” em conjunto com o Clube Naval da Horta, “entidade de referência no desenvolvimento da Vela e do Desporto Náutico nos Açores”, apresentando um Projecto que passa, globalmente, pela criação de uma Escola de Vela para Todos, onde, entre outras, as pessoas com deficiência pudessem participar, o que continua a ser uma realidade.

“Não queremos uma Escola exclusiva para pessoas com deficiência nem uma Escola de Vela só para pessoas ditas normais. Queremos construir algo de novo e inovador que permita o acesso a todas as pessoas, independentemente do tipo de deficiência, idade, sexo, raça ou religião, na defesa do direito à diferença e igualdade de oportunidades”, refere o texto do Protocolo.

A Vela como actividade física é um desporto com características muito próprias que desenvolve capacidades variadas, transmitindo ao praticante confiança e autonomia suficiente para ultrapassar situações difíceis que possam surgir no dia-a-dia, favorecendo a auto-estima e a valorização pessoal dos desportistas.

De salientar que o Clube Naval da Horta continua a ser o único nos Açores que desenvolve e promove este tipo de Projecto, contando com velejadores da Classe Hansa, que participam em competições nacionais. Nesse sentido, é de frisar que o velejador Rui Dowling se sagrou Campeão Nacional no ano de 2016, tendo sido distinguido precisamente por esse facto, e que outros colegas desportistas têm alcançado excelentes desempenhos tanto no Faial como em Portugal continental, o que, por si só, revela a integração conseguida e o nível evolutivo.

Vela como veículo de integração social

“Na Região Autónoma dos Açores e concretamente na Ilha do Faial, a Vela é mais do que pequenos barcos a navegar no horizonte, congregando em torno de uma prática recreativa, desportiva e terapêutica todos os elementos de uma comunidade. Permite não só integrar as pessoas com deficiência no Projecto “Vela Para Todos - Faial Sem Limites” (público-alvo da Associação), como, também, facilitar a compreensão e aceitação da deficiência pela comunidade em geral”, sustenta esta Associação.

A APADIF e o Clube Naval da Horta defendem uma lógica de inclusão, não só ao nível dos praticantes, mas igualmente ao nível das entidades que podem promover e valorizar os objectivos que estão subjacentes a este Projecto.

“Queremos associar-nos a outras entidades – públicas ou privadas – mobilizando a comunidade em torno desta ideia, construindo e consolidando gradualmente este Projecto, que também passa pela mudança de mentalidades e destruição de preconceitos em relação às pessoas com deficiência, valorizando as suas capacidades e contributos para a construção de uma sociedade mais tolerante e inclusiva”, realça a APADIF, que acrescenta: “Ao criarmos uma Escola de Vela para Todos que promova o direito à diferença e a igualdade de oportunidades, damos o nosso contributo para a mudança de mentalidades, abrindo portas para uma sociedade mais justa e tolerante, onde todos podemos participar e interagir”.

Existem outros objectivos mais específicos a alcançar, designadamente:

  • Contribuir para o processo de inclusão das pessoas com deficiência mediante a prática da Vela: “Projecto Vela Para Todos - Faial Sem Limites”;
  • Desenvolver actividades no âmbito da Vela que possibilitem adaptações às limitações individuais, tendo em vista o ajustamento físico, motor, cognitivo e sócio-emocional do atleta;
  • Reconhecer as oportunidades e recursos da comunidade com vista a um melhor aproveitamento e utilização destes no processo de integração do indivíduo com deficiência na sociedade;
  • Desenvolver no Concelho da Horta, um recurso de cariz lúdico, terapêutico e a longo prazo de competição desportiva para as pessoas com deficiência;
  • Promover a Vela nos Açores, com o aumento do número de praticantes, permitindo o acesso à prática da Vela a pessoas com deficiência ou a outros públicos, como a comunidade escolar (1º, 2º e 3º Ciclo), Vela para adultos e população idosa.

Muitas valências e projectos

Recorde-se que a Associação de Pais e Amigos dos Deficientes da Ilha do Faial foi criada no dia 10 de Novembro de 1993.

Desde o dia 30 de Outubro de 2012 que é considerada uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS).

Neste momento, a APADIF desenvolve a sua acção com recurso às seguintes valências e projectos:

  • Serviço de Reabilitação, Banco de Ajudas Técnicas
  • Atelier de Tempos Livres
  • Centro de Desenvolvimento e Inclusão Juvenil
  • Atelier de Trabalhos Manuais
  • Projecto Moviment´arte
  • Centro de Dia da Conceição
  • Projeto Trilhos Saudáveis 

cartaz 24 aniv apadif 2017

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.