44º Torneio Internacional de Vela do Carnaval 2018 - Vilamoura: Avarias e lesão atiram David Abecasis/Miguel Guimarães para o 7º lugar

David Abecasis e Miguel Guimarães não têm tido tempo para treinar tanto quanto desejariam no seu novo barco, adquirido em 2014

Fotografia de arquivo de: Ângelo Teixeira 

A dupla de velejadores da Classe Snipe do Clube Naval da Horta (CNH), David Abecasis/Miguel Guimarães, alcançou a 7ª posição – num universo de 19 participantes – no 44º Torneio Internacional de Vela do Carnaval 2018 - Vilamoura, que decorreu de 10 a 12 do corrente, no Algarve.

Este Torneio foi promovido pelo Clube Internacional da Marina de Vilamoura (CIMAV), tendo contado com o apoio da Federação Portuguesa de Vela (FPV).

A prova, disputada no Campo de Regatas de Vilamoura/Quarteira, foi aberta aos barcos das Classes Optimist, Laser 4.7, Laser Radial, Laser Standard, Moth, Dart 18, 420, Flying Dutchman e Snipe.

David Abecasis faz o balanço a esta competição, um dos Torneios de Vela mais conceituados do País e a primeira prova do ano/época desta dupla de velejadores.

cartaz torneio intern vela carnaval vilamoura algarveventos 2018

Este evento é um dos maiores cartazes desportivos do Algarve nesta época do ano

- Gabinete de Imprensa do Clube Naval da Horta (CNH): Como decorreu este Torneio?

- David Abecasis: De um modo geral, correu bem. Foi pena as avarias que tivemos no barco e a lesão do Miguel.

- Gabinete de Imprensa do Clube Naval da Horta (CNH): O resultado ficou aquém das vossas expectativas?

- David Abecasis: Nos dois primeiros dias ficámos até surpreendidos. Apesar de algumas avarias no barco, falta de treino e pouca condição física, estávamos em 3º lugar, tendo, inclusivamente, ganho uma regata. 

- Gabinete de Imprensa do Clube Naval da Horta (CNH): A que se deveram as dificuldades sentidas?

- David Abecasis: As avarias no barco prejudicaram-nos bastante. A falta de treino também leva a uma menor preparação e atenção ao barco. Quando treinamos, estamos, simultaneamente, a avaliar as condições do barco e a melhorar/reparar o que é necessário. A preparação física deixou a desejar e isso sentiu-se nas regatas com mais vento e, também, com o acumular de regatas realizadas. 

No último dia não conseguimos defender o 3º lugar. O Miguel ressentiu-se de uma lesão anterior e uma nova avaria no barco foi determinante para acharmos que não valia a pena arriscar um agravamento da lesão.

A avaria não era solucionável de forma eficaz e, dadas as condições de muito vento, as probabilidades de o Miguel ficar ainda pior, eram elevadas. Por essa razão, optámos por desistir do dia, tendo perdido as 3 regatas. Baixámos de 3º para 7º na tabela classificativa. Embora o resultado final tenha ficado aquém do desejado, a verdade é que gostámos das sensações dos primeiros dias, e, apesar da evidente falta de treino, conseguimos andar na frente e estar nos 3 primeiros lugares.

- Gabinete de Imprensa do Clube Naval da Horta (CNH): Qual a prova que se segue?

- David Abecasis: A 1ª Prova de Apuramento Nacional (PAN), a ter lugar em Cascais, já em Março próximo.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.