Viúva de David Yudovin espalhou cinzas do nadador no Canal Faial/Pico

David Yudovin foi lembrado pelos amigos, no Faial

Na tarde desta terça-feira, dia 3, o Canal Faial/Pico foi testemunha de um cerimonial comovente e que se traduziu na concretização de um dos últimos desejos de David Yudovin. O nadador (californiano) de águas abertas disse à esposa (Beth), que gostava que as suas cinzas fossem espalhadas em canais onde havia nadado.

Cumprindo a vontade do marido, Beth Yudovin viajou até ao Faial, na companhia de uma amiga, aonde chegou na tarde desta segunda-feira, dia 2.

cinzas david yudovin espalhadas canal 4 2018

O Clube Naval da Horta ajudou a concretizar este último desejo do nadador californiano

A cerimónia aconteceu pouco depois das 19 horas desta terça-feira, a bordo da embarcação “Eric Tabarly”, do Clube Naval da Horta (CNH), instituição que apoiou David nas travessias realizadas no Triângulo e no Grupo Ocidental.

Participaram neste ritual, além da viúva e da amiga, o Navegador de David e grande amigo, Altino Goulart, que, na qualidade de Sócio e Colaborador do CNH, comandou a embarcação, a bordo da qual se encontravam, ainda, a Vice-Presidente da Direcção do Clube, Olga Marques, e elementos do Grupo de Natação de Águas Abertas da Ilha do Faial.

Em representação do CNH, Olga Marques atirou um ramo flores, depois da viúva ter lançado à água parte das cinzas do marido. Esta Dirigente classificou o momento como “comovente”.

Altino Goulart, o ombro amigo de Beth neste dia particularmente difícil, refere que “apesar de já terem passado 3 anos sobre a data da morte de David – 28 de Março de 2015 – este foi um momento penoso para a viúva, o que é compreensível”. E sublinha: “Eles eram inseparáveis e notava-se que havia uma cumplicidade extraordinária entre este casal, que seguia junto para todo o lado”.

Beth – que já fez o funeral e realizou este gesto noutros países – continua a trabalhar neste projecto, participando em seminários e conferências pelo mundo. Nesse contexto, terá lugar pelas 18 horas desta quarta-feira, dia 4, um encontro no Bar do Clube Naval da Horta, para o qual estão convidadados os nadadores de águas abertas e todos aqueles que eram e são amigos de David Yudovin.

cinzas david yudovin espalhadas canal 2 2018

Beth Yudovin repetiu, uma vez mais, o gesto de espalhar as cinzas do marido

cinzas david yudovin espalhadas canal 3 2018

Neste Canal, Altino conduzia o amigo. Hoje, conduziu as cinzas de David para descansarem no mar que ele tanto adorava

No decorrer deste encontro de amigos, Beth irá abordar temática relacionada com natação e treinos, deixando conselhos a quem faz desta actividade uma paixão, tal como acontecia com David.

O regresso de Beth e da amiga à Califórnia está previsto para esta sexta-feira, dia 6. Até lá, Altino Goulart assumirá o papel de cicerone, mostrando as belezas e os pontos de interesse turístico do Faial, o que, para ele, representa, sem dúvida, uma forma de estar perto do amigo, a quem se sente sempre ligado.

cinzas david yudovin espalhadas canal 5 2018

A partir de agora, David Yudovin morará, para sempre, entre nós

Uma referência para muitos nadadores

Na situação de reformado – e sem filhos – David tinha todo o tempo do mundo para dedicar-se ao seu ‘hobby’, interrompido em 2015 com a morte súbita, quando treinava na residência, em Cambria, no Sul da Califórnia, para a próxima travessia, nas ilhas Maldivas.

David, que contava 63 anos de idade quando faleceu, “é reconhecido internacionalmente por ser o número um no Mundo, como nadador de águas abertas”, salienta o seu antigo Navegador, que vinca: “Além de excelente nadador, foi e continua a ser uma referência para muitos nadadores de águas abertas, pelo seu entusiasmo, espírito de aventura, carácter, bondade e generosidade.

Este norte-americano dedicou-se à Natação durante cerca de 40 anos, tornando-se no primeiro atleta a nadar em mais de três dezenas de canais de águas abertas em todo o mundo, inclusivamente nos Açores. Nestas ilhas fez algumas amizades, granjeou a simpatia de muitos e incentivou outros à prática desta modalidade.

A próxima vinda do David aos Açores estava planeada para meados do mês de Agosto de 2015, altura em que tinha programado fazer a Travessia do Canal, desta vez no sentido inverso: Pico/Faial. Durante a sua estada nos Açores, seriam realizadas algumas conferências”.

Depois, Altino seguiria com ele e a mulher para as Canárias, estando já preparada a travessia entre as ilhas Tenerife e La Gomera.

Para homenagear este amigo e nadador singular, Altino Goulart propôs à Direcção do CNH e do Grupo de Natação de Águas Abertas da Ilha do Faial, que fosse instituída uma Prova de Natação no Canal Faial/Pico com o  nome de David Yudovin, o que veio acontecer a 31 de Julho de 2015.

Uma vida de travessias 

Altino viveu uma experiência inédita e “muito interessante” como Navegador deste nadador norte-americano, um veterano no que a travessias dizia respeito.

david yudovin 2

“Além de excelente nadador, David foi e continua a ser uma referência para muitos nadadores de águas abertas”

Este californiano visitou o Faial pela primeira vez em 2008, acompanhado pela mulher – sua treinadora – determinado a conquistar os canais açorianos, assinalando, assim, a sua estreia em Portugal.

Realizados alguns treinos, David convidou Altino para seu Navegador, o que foi aceite.

“A primeira travessia em que o acompanhei, numa embarcação do Clube Naval da Horta, foi a 20 de Agosto de 2008, dia em que ele fez a nado o Canal Faial/Pico (uma distância de cerca de 5 milhas náuticas) em 2 horas e 20 minutos. Saíu de entre Montes (Guia e Queimado), junto ao Monte da Guia, e chegou à rampa do porto da Areia Larga, na Madalena do Pico. O objectivo era fazer a travessia em menos de 3 horas, o que foi conseguido com facilidade, atendendo às boas condições do atleta e do tempo”.

Na semana seguinte, David fez a travessia do Canal Pico/São Jorge, o que aconteceu a 26 de Agosto de 2008, percurso realizado em 7 horas e 20 minutos, (distância entre pontos: 11 milhas) e novamente acompanhado por Altino Goulart, numa embarcação do CNH.

A 5 de Setembro (de 2008) ligou as Flores ao Corvo, em 7 horas e 10 minutos, num total de 11 milhas.

A aventura seguinte deu-se no dia 1 de Setembro de 2010, entre a Ilha da Madeira e as Desertas, uma distância superior a 11 milhas náuticas, tendo demorado 7 horas e 3 minutos.

Na entrevista concedida ao “Diário de Notícias”, no Reid’s Palace, onde esteve hospedado na Madeira, David disse o seguinte sobre o seu Navegador, Altino Goulart:  “É um homem que sabe muito de mar, que foi um óptimo auxiliar, pois nestas travessias é preciso navegador, ou seja, alguém que conheça e nos indique o melhor percurso. Depois é uma questão de concentração para cumprir o objectivo”.

A seguir veio Cabo Verde, tendo David atravessado a nado os canais que ligam Santo Antão a São Vicente, no dia 26 de Junho de 2012. Foram 10,5 milhas em 5 horas e 44 minutos. A 8 de Julho desse ano, seguiu-se Fogo/Bravo, um percurso que envolveu 12 milhas, tendo sido percorrido em 6 horas e 38 minutos.

A 30 de Junho de 2013, David Yudovin nadou entre Maio e Santiago, uma distância de 15 milhas náuticas, totalizando 11 horas e 37 minutos.

Em São Tomé, realizou ainda duas travessias, sempre acompanhado por Altino, que revela o ritual de David antes de cada nova etapa: “Fazia meditação durante cerca de 30 minutos”.

Treino, concentração e persistência eram os segredos de David Yudovin, que se tornou conhecido em diversas partes do mundo como nadador de canais. Conseguiu atravessar com sucesso diversos mares, em vários continentes. No seu currículo, contam-se as travessias do Canal da Mancha; o Estreito de Gibraltar; o Estreito de Cook, na Nova Zelândia; o Estreito de Sunda, na Indonésia; e o Estreito de Tsugaru, no Japão, entre outros.

“Um dia hei-de nadar neste Canal” 

Altino tornou-se amigo deste casal norte-americano e realça que ter sido Navegador de David Yudovin foi “uma vivência única e muito marcante”.

Recorda que “ele e a mulher passaram ao largo do Faial, num cruzeiro de Alicante para os Estados Unidos, tendo dito à Beth que um dia ainda haveria de nadar neste Canal. E 15 anos depois estava cá a nadar! Ele era uma excelente pessoa, muito simpático e que gostava de música: tocava guitarra havaiana e clássica.

altino beth david yudovin

Altino com os amigos Beth e David Yudovin

Fotografias cedidas por: Altino Goulart

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.