David Yudovin recordado pela mulher e amigos, no Bar do CNH

Conceição, Olga, Verónica, Beth, Altino e Pedro Afonso (este último não ficou na fotografia, mas participou): um brinde à amizade e ao David, sempre presente

Foi entre amigos que decorreu o encontro desta quarta-feira, dia 4, no Bar do Clube Naval da Horta (CNH), em que Beth – viúva do nadador norte-americano, David Yudovin – esteve presente. A conversa, regada com chá e bolo caseiro, trouxe à memória as façanhas de um nadador singular, que se tornou especial para o Clube Naval da Horta e para muitos faialenses.

Com feitos notáveis alcançados em diferentes países ao fazer travessias em águas abertas, David esteve presente neste encontro, não só em espírito e amizade, mas, também, pelas palavras e imagens.

Altino Goulart, Navegador escolhido por David e de quem se viria a tornar um amigo do peito, invocou o companheiro dessas aventuras calculadas e preparadas, denotando um misto de emoção e saudade.

“David era um nadador exímio e um excelente ser humano”, recorda Altino Goulart, que se tornou o homem de confiança deste californiano no que a travessias dizia respeito. A corroborar essa afirmação, está o facto de este nadador ter dito que havia dois aspectos que lhe davam sorte: o amigo Altino e o seu indispensável relógio.

David partiu há 3 anos – a 28 de Março de 2015 – numa travessia que o trouxe para junto de todos nós, já que parte das suas cinzas repousam no nosso Canal (Faial/Pico), que ele bem conhecia e que conseguiu sentir como poucos.

cha bar cnh com beth yudovin 2 2018

Beth sentiu-se entre amigos e agradeceu as manifestações de carinho recebidas

O seu legado continua a viajar pelo mundo através de Beth, que, ao participar em seminários e palestras, mantém viva a memória de David, ao mesmo tempo que partilha a sua vasta experiência, enquanto treinadora.

Beth Yudovin encontrava-se precisamente a participar num seminário em Londres, de onde embarcou para vir ao Faial cumprir este desejo do marido. Daqui partirá esta sexta-feira, dia 6, rumando novamente a Londres e só depois regressará a casa, na Califórnia. Na bagagem leva o programa oferecido por Altino Goulart, as manifestações de apoio e apreço do CNH, a amizade conquistada, os ‘souvenirs’ adquiridos e a sensação de que deixa parte de si nesta terra, atendendo à ligação próxima e profunda que mantinha com o companheiro de uma vida.

Altino sublinhou a empatia, amizade e cordialidade que se gerou entre este casal e ele próprio. “Criei respeito e admiração por esta gente”, realça, salientando que “o Clube Naval da Horta foi fundamental em todo este processo”. “Gerou-se aqui algo de muito bom, que foi a confiança e a amizade das pessoas ao CNH”, sustenta.

Beth agradeceu o apoio prestado pelo CNH e o carinho de todos, manifestando vontade de um dia regressar, já que alguns dos recantos da ilha têm gravadas memórias de ontem, com intensidade de hoje, que se tornarão ainda mais fortes amanhã.

Por seu turno, Olga Marques, Vice-Presidente da Direcção do Clube Naval da Horta, revelou satisfação pelo facto de esta instituição ter contribuído para o sucesso do projecto de David Yudovin, afirmando que foi com gosto que o Clube se associou a este memorial, imbuído de um grande significado.

Depois de mais este encontro – que Beth espera não ser o último – naturalmente que os laços saem reforçados e que sobressai um sentimento de proximidade, não fosse o Faial terra de chegadas e partidas, de marinheiros e aventureiros, de encontros e abraços apertados, coroados pelo selo de algo muito nosso: a hospitalidade.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.