Vela Ligeira - Jogos das Ilhas 2018: Selecção dos Açores conquistou 2º lugar da geral

Miguel Mendes e Xavier Novo, do Clube Naval de Ponta Delgada; Leonor Porteiro e Maísa Silva, do CNH, constituiram a Selecção dos Açores  - Vela Ligeira – nos Jogos das Ilhas 2018. Em femininos, Maísa Silva e Leonor Porteiro, do CNH, alcançaram o 2º e 3º lugar do pódio

Maísa Silva e Leonor Porteiro, atletas do Clube Naval da Horta (CNH), foram as representantes femininas da Vela da Região Açores nos Jogos das Ilhas 2018, que decorreram de 23 a 26 deste mês, na Catânia, Sicília (Itália).

A Selecção dos Açores era composta pelas velejadoras do CNH e pelos atletas de Vela Ligeira do Clube Naval de Ponta Delgada: Miguel Mendes e Xavier Novo.

A comitiva açoriana integrou, ainda, o Treinador de Competição do CNH, Duarte Araújo, e o Presidente da Associação Regional de Vela dos Açores (ARVA), Jorge Macedo.

Duarte Araújo reporta a forma como decorreu esta importante competição, em que a Selecção dos Açores arrecadou o 2º lugar da geral, tendo Maísa Silva e Leonor Porteiro, do CNH, em Femininos, ocupado o 2º e 3º lugares do pódio, respectivamente.

“Os Jogos das Ilhas deste ano realizaram-se na cidade de Catânia, na Sicília. Estiveram presentes cerca de 1000 Atletas, Treinadores, Dirigentes, Voluntários e outros Representantes.

Na Vela, estavam representadas as Ilhas de Jersey, Córsega, Malta, Sicília e Açores. O programa de 9 regatas foi cumprido, sempre com pouco vento, não passando dos 10 nós, registando-se muito sol e calor.

Este ano, os Jogos das Ilhas contaram com a presença do Vice-Campeão Europeu de 2016, o velejador de Malta Richard Schulteis, e mais dois velejadores de topo: o italiano Marco Genna e o maltês Saul Vassallo, o que permitiu aos nossos velejadores terem uma referência de excelência na sua Classe.

Toda a viagem e Campeonato decorreram muito bem e os resultados foram, tigualmente, muito bons.

Em equipas, conseguimos o 2º lugar da geral e, individualmente, as velejadoras faialenses Maísa Silva e Leonor Porteiro, classificaram- se, respectivamente, em 2º e 3º lugar.

Esta experiência permitiu aos atletas conhecerem outra ilha e desportistas de outras ilhas, fazer amizades e melhorar a sua motivação desportiva, perante esta exigência de representar a Região e o País além fronteiras.

Saíram todos mais ricos e preparados, visando o objectivo de se aplicarem ainda mais na próxima época”.

O Gabinete de Imprensa recolheu as impressões das velejadoras vencedoras do CNH, que, no Feminino, representaram a Classe a nível regional.

Maísa Silva, 2ª classificada, em Femininos: 

“Não acho que tenha sido uma prova muito difícil. Para mim, o mais complicado foram as ondas maretas (ondas mais pequenas e mais seguidas), mas já estou a lidar melhor com elas.

Encontrei alguns velejadores muito competitivos na frota, sobretudo aqueles que vão ao Mundial. Contudo, fiz novas amizades, em especial da ilha de Jersey.

Na nossa Classe, a Selecção dos Açores era pequena, mas já nos conhecíamos de provas regionais e nacionais.

Não contava muito com este resultado, o que naturalmente me deixou satisfeita.

No último dia passeámos um bocadinho e a Entrega de Prémios foi uma cerimónia bonita, com a representação de todas as ilhas participantes.

Apesar de esta ter sido a minha segunda participação nos Jogos das Ilhas, constituiu uma nova experiência, ou seja, mais uma nova experiência a juntar a outras que tenho tido e que são muito importantes para a minha evolução enquanto velejadora”.

maísa silva

Maísa Silva: “Encontrei alguns velejadores muito competitivos na frota, sobretudo aqueles que vão ao Mundial”

Leonor Porteiro, 3ª classificada, em Femininos: 

“A participação neste campeonato foi fixe [primeira vez nos Jogos das Ilhas]. Deu para aprender muitas coisas com os velejadores que integravam a frota, alguns dos quais vão ao Mundial, o que faz surpreender.

O campo de regata era pequeno, permitindo que estivessemos concentrados do princípio ao fim. Considero que as provas realizadas no Continente português são mais difíceis, porque envolvem frotas maiores. Aqui, éramos apenas 18 velejadores.

Algumas largadas foram difíceis, atendendo a que os adversários eram bons e faziam tudo ao seu alcance para se posicionarem na dianteira.

Como não tinha grandes expectativas, estou contente com o resultado alcançado.

Correu bem e foi uma oportunidade para fazer amigos novos, sobretudo da ilha de Jersey.

Em relação à Vela Ligeira, a Selecção dos Açores era pequena, mas espectacular. Já conhecia os colegas de Ponta Delgada”.

leonor porteiro cnh

Leonor Porteiro: “Algumas largadas foram difíceis, atendendo a que os adversários eram bons e faziam tudo ao seu alcance para se posicionarem na dianteira”

Consulte os resultados finais nesta ligação.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.