Náutica no Bar – Apresentação esclarecedora, debate animado



No serão de 5ªfeira, dia 11 de Abril, o Bar do Clube encheu de sócios e outras pessoas interessadas que quiseram participar na Náutica no Bar sobre Património Baleeiro Móvel e Imóvel do Faial.

Pouco depois das 21H00 dava-se inicio a mais esta sessão informal de debate de temas náuticos, marítimos ou culturais directamente relacionados com o mar, tendo a Drª Márcia Dutra, do Observatório do Mar dos Açores (OMA), feito uma detalhada apresentação sobre o levantamento e inventariação já feita dos portos, estações baleeiras, edifícios de apoio á actividade baleeira, fábricas, vigias, documentação, palamentas e equipamentos. A Drª Márcia Dutra deteve-se, com pormenor, sobre o património baleeiro imóvel da ilha do Faial, explicando, com detalhe, todo o trabalho de levantamento feito nas instalações e outros bens da antiga armação baleeira “Reis e Martins”, trabalho esse que só foi possível com a empenhada colaboração dos responsáveis pela liquidação daquela empresa. Foi ainda informado pela apresentadora estar o OMA a elaborar roteiros, por ilha, sobre o património baleeiro e a propor a classificação municipal ou regional de algum desse património. É esse o caso do armazém da Reis e Martins, na Rua Nova, na Horta, cuja proposta de classificação já foi organizada há algum tempo.


Terminada a apresentação, que foi seguida com interesse pelas pessoas presentes, seguiu-se um dilatado período de debate, moderado por José Decq Mota. Merecem destaque as intervenções do Dr. Filipe Porteiro, do OMA, que, de entre outros pontos de vista, defendeu a recuperação dos armazéns da armação baleeira Reis e Martins, tendo em vista, quer a preservação da memória, quer a criação de um local de invernia e manutenção para os oito botes baleeiros do Faial, recuperados e classificados para utilização desportiva.

Do longo e animado debate são de reter, de entre outras, as seguintes ideias: é necessário recolher e registar memórias sobre o modo de funcionamento das estações baleeiras; é necessário trabalhar para dar continuidade à enorme utilização desportiva do património recuperado para esse efeito; é necessário classificar como peças históricas genuínas os botes e os equipamentos integrados em museus e casas de botes; é necessário fazer tudo quanto seja possível para integrar, divulgar e defender como dado fundamental da nossa cultura marítima, todas as acções de utilização desportiva, preservação e conservação do património baleeiro existente. A sessão foi encerrada por José Decq Mota, que em nome do Clube Naval da Horta, agradeceu à Drª Márcia Dutra e ao OMA o excelente trabalho feito, sublinhou o interesse suscitado pela apresentação, referiu a grande importância e valor das muitas questões levantadas e lembrou a grande necessidade que há em tratar as questões do património baleeiro de forma integrada.

A apresentação feita pela Drª Márcia Dutra está disponível aqui.



Veja as fotos deste evento no site CNH/Arquivo/Galeria ou no Google+ do CNH

                  arc_logo