Um quadro técnico insuficiente e a necessidade urgente de apetrechamento, constituem as necessidades mais prementes da Secção de Vela Ligeira do CNH

Imprimir

A Apresentação aos Pais da Época 2014/2015 de Vela Ligeira aconteceu na tarde desta quinta-feira, dia 18, e ficou marcada pela garantia dada pelo Clube Naval da Horta de que está a trabalhar afincada e realisticamente no sentido de encontrar, rapidamente, soluções para as necessidades mais prementes desta modalidade: o reforço do quadro técnico e a aquisição de mais barcos Laser e 420, numa altura em que, os apoios oficiais para o apetrechamento das Secções estão, há anos, suspensos.


João Duarte, Vice presidente da Direcção do CNH e Treinador de Vela Ligeira; José Decq Mota, Presidente da Direcção do CNH; Duarte Araújo, Treinador de Vela Ligeira e Adjunto da Directora Técnica e Ana Sousa, Directora Técnica do Clube, deram a conhecer aos pais, na tarde desta quinta-feira, a dia 18, a nova época desta Secção do CNH



A Secção de Vela Ligeira do Clube Naval da Horta (CNH) debate-se com duas situações que têm de ser resolvidas no mais curto espaço de tempo para que a modalidade possa prosseguir a linha evolutiva até agora registada: o quadro técnico existente é insuficiente para as necessidades e o equipamento em uso está notoriamente cansado, carecendo de renovação.

Na Apresentação aos Pais da Época 2014/2015 da Vela Ligeira do CNH, que decorreu na tarde desta quinta-feira, dia 18, no Centro de Formação de Desportistas Náuticos do Clube, o Presidente da Direcção desta instituição, José Decq Mota, garantiu que o Clube Naval da Horta está à procura de pessoas credenciadas que possam vir a complementar e reforçar o trabalho do Treinador de Vela Ligeira de Grau II, Duarte Araújo. Essas pessoas, trabalhando como monitores algumas horas em cada fim-de-semana, sob a orientação do Treinador, possibilitarão uma adequada diferenciação do treino. O grosso do trabalho está a cargo de Duarte Araújo que, após um período experimental, ficará ao serviço do Clube Naval da Horta durante os próximos 3 anos.

José Decq Mota vincou o empenho desta casa no sentido de proporcionar aos seus atletas as melhores condições de treino, referindo que são cerca de 70 os velejadores, em todas as Classes. “A aposta do CNH passa pelo grau de diferenciação de treino para que possa haver evolução”, sustentou este dirigente.

A actividade intensa tem provocado um desgaste grande no equipamento, com a agravante de a frota não ser nova. Entre estagnar a actividade desta Secção e trabalhar com o que havia, o actual elenco directivo – que se encontra no fim de um mandato de 2 anos – optou por recuperar muito do material que já não apresentava condições para ser utilizado. Se tal não tivesse acontecido, provavelmente hoje o Clube não poderia ter o número de velejadores que tem.

No entanto, a ruptura está eminente e o Presidente desta prestigiada instituição sabe que não é possível adiar mais. Por isso, garante que em 2015 terão de ser feitas algumas aquisições, “embora o apetrechamento não possa ser muito volumoso”.

Cauteloso em adiantar números, até porque as contas do actual exercício ainda não estão fechadas, José Decq Mota ainda assim levanta a ponta do véu, revelando que “talvez possam ser feitas aquisições até aos 5 mil euros” (embarcações para as Classes Laser e 420).

A propósito, este dirigente fez questão de salientar que desde 2012 que os programas oficiais de apetrechamento se encontram suspensos, “o que veio em muito penalizar a normal actividade deste e de outros Clubes”.

Alguns pais presentes nesta apresentação queixaram-se de que estão a investir numa modalidade que não está a dar a melhor atenção aos seus filhos e, compreensíveis ao quadro explanado pelo Presidente, propuseram que se façam acções de angariação de fundos, à semelhança do que acontece com outras Secções.

Indo de encontro a estas naturais reclamações, José Decq Mota afirmou que o Clube Naval da Horta tem receitas próprias, as que resultam dos contratos-programa e ainda as dos subsídios. E prosseguiu: “A gestão é saber aplicar o dinheiro nas várias áreas. O CNH não tem tido problemas de ordem financeira, porque tem regulado a sua actividade de acordo com as verbas de que dispõe. Mas no que diz respeito à actividade e equipamento, dependem muito de apoios. Quando de repente se passa de um quadro de apoios para reapetrechamento para zero, a situação muda bastante”.

O Presidente da Direcção desta instituição defendeu a implementação de uma taxa modesta nesta Secção, a qual só poderá vir a ser uma realidade quando o quadro técnico e o equipamento forem capazes de cobrir as necessidades.

José Decq Mota frisou que “a presença dos atletas é muito bem-vinda, porque essa é a missão desta casa e quantos mais atletas o Clube tiver, melhores serão os contratos-programa”. Contudo, realça que “há muito que os apoios destes contratos-programa não cobrem as despesas das modalidades a que se destinam”. E a título de exemplo, o Treinador João Duarte disse mesmo que “desde 2012 que esses montantes sofreram uma redução na ordem dos 40%.”

O facto de o Treinador Duarte Araújo estar a tempo inteiro no Clube pode deixar transparecer que isso é sinónimo de muito tempo e pouco trabalho. E nesse sentido, o Presidente da Direcção explicou que “este técnico está sempre aproveitado”. Além de Treinador de Vela, Duarte Araújo é também Adjunto da Directora Técnica, tendo ainda a seu cargo as aulas de Iniciação de Adultos em Raquero. E como se tudo isso ainda fosse pouco, há as candidaturas aos contratos-programa que “exigem o acompanhamento de um quadro técnico competente”.

Quem paga quer ver resultados e esta é um pouco a posição de alguns pais que gostavam que os filhos se tornassem velejadores exímios. Quem está por dentro da modalidade com muitos anos de tarimba como é o caso do Treinador João Duarte, está à vontade para afirmar que “a prática da Vela não é uma ciência previsível” e que “o desenvolvimento da prática está muito condicionado ao tempo que vai fazendo”. Para este técnico, “o sucesso é o número crescente de participação na Vela” e no que diz respeito aos mais pequenos, “os Estágios servem precisamente para incutir o gosto pela modalidade e não para saírem dali a saber velejar”. Ainda a propósito desta questão, João Duarte disse que “não importam só os resultados, mas que haja velejadores e que a Vela contribua para a formação dos atletas, criando neles hábitos saudáveis”.

As deficitárias condições dos balneários também foram alvitradas neste encontro, o que sendo uma realidade mais do que evidente, não poderá ter uma solução de fundo se tivermos em conta que em Janeiro deste ano foi dito ao Presidente do CNH que esta instituição procurasse uma sede provisória, tendo em conta que a actual ia entrar em obras. Perante a certeza de novas instalações e o impasse no seu arranque, os actuais dirigentes desta instituição vêem-se na difícil dualidade de terem de dar condições dignas aos seus atletas e, ao mesmo tempo, revelarem o bom senso de não investir num edifício que vai ser completamente intervencionado.


Os pais (acompanhados de alguns atletas) mostraram-se interessados em saber quais as soluções que o Clube tem para a Secção de Vela Ligeira, pois querem que o seu investimento tenha retorno

Coube à Directora do Clube, Ana Sousa, a apresentação do Plano de Actividades, Horário de Treinos, Objectivos, Grupos de Treino, Participação em Provas Regionais e Utilização do Material.

Relativamente ao Plano de Actividades, que o mesmo é dizer, calendarização, as acções começam em Setembro deste ano e terminam em Setembro de 2015. Ao longo deste período, haverá 8 provas locais, 4 regionais e 3 nacionais.

SETEMBRO: No dia 27 deste mês realizar-se-á uma Prova Local, que é a Prova de Aniversário de Vela Ligeira do CNH, destinada a todos atletas da Secção, desde a Iniciação até aos Juniores.

OUTUBRO: A 1ª Prova do Campeonato Regional (1ª PCR) da Época 2014/2015 ocorre já nos dias 4 e 5 de Outubro, organizada pelo Clube Naval de São Roque do Pico.  

NOVEMBRO: Em relação ao mês de Novembro, no dia 8 haverá uma Prova Local, que é a Prova de Aniversário da Associação Pais e Amigos dos Deficientes da Ilha do Faial (APADIF), com quem o CNH tem um Protocolo de Cooperação, desenvolvendo acções em parceria.

Nos dias 29 e 30 de Novembro terá lugar a 2ª Prova do Campeonato Regional (2ª PCR), em São Miguel, organizada pelo Clube Naval de Vila Franca do Campo.

Ana Sousa chama a atenção para o facto de antes de cada prova regional haver sempre uma prova local.

DEZEMBRO: Para o mês de Dezembro, dia 20, está calendarizada a Regata de Natal. A Directora Técnica do Clube Naval da Horta explica que no período de férias natalícias os treinos só se realizarão durante a primeira semana caso o Clube ainda disponha apenas de um técnico credenciado. Se, entretanto, já estiver ao serviço o colaborador que vem reforçar o horário dos treinos, o cenário será diferente, para melhor. Refira-se ainda a propósito, que o Treinador Duarte Araújo também irá ausentar-se neste período, durante alguns dias, deslocando-se a casa (Porto).

Já em 2015, em JANEIRO, haverá, no dia 24, uma Prova Local: a Regata de Reis.

FEVEREIRO: Para o dia 21 de Fevereiro está programada uma Prova Local, que é a Regata de Carnaval.

No decorrer desta curta interrupção lectiva, também haverá treinos fora dos fins-de-semana.

MARÇO: Nos dias 14 e 15 de Março do próximo ano decorrerá a 3ª Prova do Campeonato Regional (3ª PCR) para Juvenis e Juniores, em São Miguel, organizada pelo Clube Naval de Ponta Delgada.

De 24 a 29 haverá o Campeonato de Portugal de Juvenis e nos dias 30 e 31 o Campeonato de Portugal de Juniores, ambos no Continente português.

ABRIL: Para o mês de Abril, de 1 a 4 realizar-se-á o Campeonato de Portugal de Juniores, no Continente português e para o dia 11 está marcada uma Prova Local: Regata da Páscoa.

Durante as interrupções lectivas de Março e Abril os treinos serão intensificados caso estejam reunidas as condições para tal.

MAIO: Para o dia 16 de Maio está calendarizada uma Prova Local, que é a Regata do Triângulo.

JUNHO: No mês de Junho também haverá uma Prova Local, no dia 27. Trata-se da Regata de Verão.

JULHO: Nos dias 11 e 12 de Julho decorrerá uma Prova Regional: o Encontro Regional de Escolas de Vela, que em 2015 será organizado pelo Clube Naval da Horta.

Tendo em conta que se trata de um tempo de férias, as chamadas férias grandes, os treinos serão diários, como vem sendo habitual em anos anteriores.

AGOSTO: Durante o mês de Agosto, nos dias 3, 4, 5 e 6, realizar-se-á no CNH o Encontro Internacional de Vela Ligeira.

No dia 6 terá lugar uma Prova Local: o Troféu Cidade da Horta em Infantis, também no CNH, no âmbito do Festival Náutico da Semana do Mar 2015.

SETEMBRO: Dando a volta ao ano, chegamos novamente a Setembro, mês em que nos dias 4, 5 e 6 terá lugar uma Prova Nacional: o Campeonato de Portugal de Infantis, no Continente português.

De realçar que, sempre que houver provas no Continente português, o Treinador Duarte Araújo terá de acompanhar os velejadores do CNH.

No que concerne ao Horário de Treinos, foi estipulado o seguinte:

- Iniciação Escolas (= Infantis ou os que fazem Vela pela primeira vez): aos sábados, das 09h00 às 13h00.

- Juvenis Aperfeiçoamento e Competição: aos sábados, das 14h00 às 18h00.

- Juniores Competição: aos domingos, das 14h00 às 18h00.

- Classe Access Competição (Vela para pessoas com mobilidade reduzida): às segundas, terças e sextas-feiras, das 09h00 às 12h30.

- Laser Seniores: aos domingos, das 09h00 às 12h30.

É pretensão do CNH que as aulas da Escola de Vela funcionem todos os sábados e domingos e sempre que possível noutros dias da semana.

As aulas serão interrompidas no mês de Agosto, após a Semana do Mar.

Os treinos decorrerão sempre ao fim-de-semana: sábados e domingos. Fora desses dias, será algo que terá de ser acordado entre pais, atletas e disponibilidade de treinadores.

Objectivos da Escola de Vela do CNH:

Gerais:

- A formação humana de jovens e adultos através da prática desportiva da Vela

- Incentivar e apoiar a prática desportiva da Vela

- A formação técnica na modalidade como garantia de continuidade e desempenho competitivo

- Assegurar a continuidade no Clube através da prática da Vela.

Específicos:

- Nos Infantis Optimist, manter o 1º lugar a nível regional para garantir a participação no Campeonato de Portugal de Infantis.

- Na Classe Juvenis Optimist, garantir 4 velejadores nos 8 primeiros lugares do Campeonato Regional e participar no Campeonato de Portugal.

- Nos Juniores Laser, ter 2 velejadores nos 4 primeiros lugares do Campeonato Regional.

- Nos Juniores 420, ter 1 equipa nos 2 primeiros lugares a nível regional para garantir a presença no Campeonato de Portugal.

Grupos de Treino:

Iniciação – Escolas

- David João                                                  David Moimeaux

- Leonor Pó                                                   Rodrigo Melo

- Ana Luísa Silva                                          Leonor Porteiro

- Daniel Moimeaux                                      Alexandra Cebola

- Sofia Duarte                                              Ana Cebola

- Maurício Branco                                       Guilherme Vargas

- Martim Cabral                                           Rodrigo Terra

- Filipe Ferreira                                            Alexandra Cunha

                                                                     Joana Duarte

Grupos de Treino:

Juvenis

Aperfeiçoamento                                                 Competição

- Ricardo Henriques                                              - Mariana Luís

- Lucas Silva                                                         - Rita Branco

- Bernardo Melo                                                    - Jorge Pires

- Arthur Moimeaux                                                - Tomás Oliveira

- Zakhar Starinskhyi                                               - Tomás Pó

- Pedro Moniz                                                         - Cristóvão Ribeiro

- Miguel Duarte

- Artur Silva

- Aurora Nunes

- João Pedro Costa

Na sua intervenção, Ana Sousa sublinhou que os grupos de Aperfeiçoamento e de Competição espelham bem a dificuldade de o Clube dispor de apenas um Treinador.

Grupos de Treino

Competição – Juniores

  1. Laser                                                                           420

- Pedro Costa                                                              - Ricardo Silveira

- Jorge Medeiros                                                         - Tiago Serpa                             

- Inês Duarte                                                                - Jorge Silva

- André Costa                                                               - Bartolomeu Ribeiro

- Emília Branco                                                             - Júlia Branco

- Vasco Escobar                                                            - Petra Ferreira

Participação em Provas Regionais:

As Provas Regionais são da responsabilidade da Associação Regional de Vela dos Açores (ARVA), assim como o número de participantes que cada Clube pode levar por Classe.

Para a Época 2014/2015, o CNH tem as seguintes quotas (a aguardar confirmação da ARVA):

- Infantis Optimist: 3 embarcações

- Juvenis Optimist – 12 embarcações

- Juniores Laser 4.7 – 5 embarcações

- Juniores 420 – 2 embarcações

Infantis Optimist:

Neste momento, o grupo está com 19 atletas de onde serão escolhidas equipas de 3 para participarem no Encontro Regional de Escolas de Vela sem limite do número de equipas, uma vez que o CNH é o clube organizador.

Juvenis Optimis:

Neste momento, o CNH tem 16 atletas nestas condições, de onde 12 serão apurados.

Juniores Laser 4.7:

Os velejadores deste grupo são 6, podendo participar 5.

Juniores 420:

O CNH tem 6 velejadores em condições de participar, dos quais 4 serão seleccionados para as provas.

Selecção dos Velejadores

Serão tidos em conta os seguintes critérios de selecção:

- Assiduidade

- Desempenho técnico e táctico

- Conhecimentos teóricos

- Número de embarcações disponíveis

Neste momento o Clube está a trabalhar para ter o número de embarcações que preencha a quota nas diferentes Classes, nomeadamente em Laser.

Numa primeira fase terão de ser escolhidos 5 velejadores de Laser e 4 de 420, uma vez que não há embarcações disponíveis para todos.

1ª Prova do Campeonato Regional:

A 1ª Prova do Campeonato Regional (1ª PCR) irá realizar-se nos dias 4 e 5 de Outubro próximo, participando os velejadores Juvenis e Juniores que neste momento estão na Escola de Vela do CNH e de acordo com as quotas de cada Classe, tendo em conta os critérios apresentados para participação em Provas Regionais.

Utilização do Material:

Este ano foi introduzido este novo item, uma vez que se afigura cada vez mais necessário o cuidado a ter com o equipamento utilizado, que se não for estimado, vai faltar para as necessidades. É de realçar o enorme encargo que esta questão representa para o Clube e o facto de estarem em falta 1 Laser e 1 420.

Os barcos e palamenta serão atribuídos de acordo com a classificação no Campeonato Regional.

Cada velejador deve cuidar do seu material por forma a mantê-lo nas melhores condições, factor imprescindível para atribuição do material.

Ana Sousa chamou a atenção para a regularização da inscrição de todos os atletas na época que agora se inicia, frisando que os treinos começam já este sábado, dia 20.

A terminar, José Decq Mota convidou os pais, sócios e desportistas para que abrilhantem a festa de aniversário do CNH com a sua presença, que terá lugar no dia 4 de Outubro, no Pavilhão da Igreja das Angústias.

Fotografias de: Cristina Silveira