Entrevista CNH: Jorge Medeiros e Vasco Escobar, 3º Lugar do Ranking Regional de 420 na época 2015/2016

Imprimir

jorge medeiros e vasco escobar 420 1 2016 h700

O Gabinete de Imprensa esteve à conversa com a dupla de 420, Jorge Medeiros/Vasco Escobar, equipa que alcançou o 3º lugar do Ranking Regional de 420, na época 2015/2016. Vasco tem 15 anos e estuda Eletricidade Naval na Escola Profissional da Horta. Jorge, com 16 anos, está no 11º ano do Curso de Línguas e Humanidades, na Escola Secundária Manuel de Arriaga.

Gabinete Imprensa: Há quanto tempo praticam Vela?
Vasco Escobar: Estou na Vela há cinco anos. Estive 3 anos em Optimist, um ano em Laser 4.7 e agora estou a completar uma época em 420.
Jorge Medeiros: Pratico Vela há 9 anos. Estive 7 anos em Optimist, depois passei para Laser 4.7 ao mesmo tempo que o Vasco, estive um ano nessa classe e agora estou em 420 há cerca de 7 meses, com o Vasco.

Gabinete Imprensa: A equipa funciona bem, gostam de trabalhar juntos?
Vasco Escobar: Sim, embora de vez em quando tenhamos alguns arrufos ou guerras na equipa, o que é normal. É bom trabalhar em equipa. Ambos preferimos a classe 420.

Gabinete Imprensa: Esta época foi a vossa primeira competição na classe 420. Como foi conciliar treinos e levar o que se aprende nos treinos para a competição?
Vasco Escobar: É completamente diferente. Temos em conta que nos treinos só temos 3 barcos e depois nas regatas para apuramentos nacionais são cerca de 10, 11 barcos.

Gabinete Imprensa: Tendo em conta que este foi o primeiro ano, qual foi o sentimento de ficar em 3º do Ranking Regional?
Jorge Medeiros: Foi muito bom termos conseguido o 3º lugar, ficámos muito contentes. O nosso primeiro ano, apesar de não termos treinado tanto como queríamos, quer por doença ou por não conseguirmos conciliar os treinos. No entanto, o que treinámos foi para ganhar, pelo menos tentar.

Gabinete Imprensa: Tinham objetivos traçados quando iniciaram a época ou este lugar no ranking foi uma surpresa?
Jorge Medeiros: Não acho que tenha sido uma surpresa. Nós já tínhamos a noção que não íamos ficar assim tão atrás na tabela e que estávamos a lutar pelos primeiros lugares. Conseguimos o 3º lugar, foi bastante bom para a nossa primeira época. Agora desta época 2015/2016 só nos falta o torneio da semana do mar.

Gabinete Imprensa: O que poderia ter corrido melhor este campeonato regional?
Vasco Escobar: Na 1ª PCR não foram realizadas regatas. Na 2ª PCR conseguimos ficar em 2º lugar geral provisório e começámos a dedicar cada vez mais o nosso tempo livre à vela para conseguir o 2º lugar e nos apurarmos para o nacional.
Infelizmente, na última prova não conseguimos, as condições de vento não eram as que estávamos habituados a ter, mas apesar de tudo estou contente com os resultados.

Gabinete Imprensa: O que pode ser melhorado ou feito de maneira diferente para a próxima época correr ainda melhor?
Jorge Medeiros: Vamos treinar mais, mais especificamente cada coisa a seu tempo, como os nossos treinadores nos têm incentivado. Enquanto uma coisa não estiver bem, vamos repetir, repetir até ficar bem-feita e passamos ao seguinte nível, até à próxima coisa a melhorar. E assim sucessivamente.
Para o ano vamos lutar mais, pelo primeiro lugar a nível regional. Vamos também continuar o nosso projeto de patrocínios, tentar angariar patrocinadores para comprar, pelo menos, uma capação de velas e um mastro novo. Já ia fazer uma grande diferença.

Gabinete Imprensa: Sentem essa diferença no mar, quando competem contra atletas com melhor material?
Jorge Medeiros: Apesar de só estarmos há um ano nesta classe, nós notamos a diferença. Obviamente que o material não faz toda a diferença, mas uma diferença grande, porque às vezes nós reparamos que estamos ali concentrados a fazer o nosso esforço e depois vemos velejadores que têm material melhor que o nosso e por vezes conseguem ganhar bastante distância, pelo facto de terem um casco novo ou capação de velas nova.

Gabinete Imprensa: A vela é uma atividade para continuar na vossa vida, após os estudos?
Jorge Medeiros: Eu gostava muito de continuar a praticar vela e ao mesmo tempo trabalhar nessa área. Quando acabar o 12º ano, gostava de fazer o curso de skipper em Inglaterra, o que daria mais visibilidade e reconhecimento internacional.

Gabinete Imprensa: Se não fossem velejadores, que outro desporto é que praticariam?
Jorge Medeiros: Eu não faria mais nenhum. É uma pergunta que me faço a mim mesmo, muitas vezes, se por acaso não fizesse vela o que faria, ou talvez por questões de ser muito trabalho físico. Mas não me imagino a praticar outro desporto que não a vela.
Vasco Escobar: No meu caso, não pratico só vela ligeira, também pratico futebol. Se não estivesse na vela, dedicar-me-ia mais ao futebol. No entanto, caricatamente, entrei na vela por engano: pedi ao meu pai para me inscrever na canoagem e ele enganou-se, inscrevendo-me na vela. Mas gostei muito e por isso aqui continuo até hoje. Foi um bom engano.

jorge medeiros e vasco escobar 420 2 2016 h700

jorge medeiros e vasco escobar 420 3 2016 h700