Campeonato Nacional da Classe Access no Faial aponta para um recorde de barcos e velejadores

O Clube Naval da Horta é o organizador da prova que contará com 38 velejadores e mais de 80 pessoas envolvidas (entre dirigentes, treinadores, velejadores e voluntários)

Reuniu-se na manhã desta sexta-feira (dia 14) o Grupo de Trabalho do Clube Naval da Horta (CNH) que tem como missão preparar o Campeonato Nacional da Classe Access 2014 (http://nacaccess2014.cnhorta.org), Vela Adaptada para pessoas com mobilidade reduzida – que se realiza na ilha do Faial, nos dias 11, 12 e 13 de Julho próximo. Refira-se que esta é uma iniciativa promovida em conjunto pela Federação Portuguesa de Vela (FPV) e pela Associação Portuguesa da Classe Access.

Deste Grupo de Trabalho fazem parte o Presidente do CNH, José Decq Mota; a Directora Técnica do Clube, Ana Sousa; Luís Paulo Moniz e João Duarte, da Secção de Vela Ligeira do CNH e Nilzo Fialho, da Associação de Pais e Amigos dos Deficientes da Ilha do Faial (APADIF).

Até agora, este Campeonato conta com a inscrição de 10 clubes navais representativos do Continente português, Madeira e Açores, sendo o Clube Naval da Horta o único participante do arquipélago açoriano.


Está prevista a participação de 9 embarcações da Classe Access 303 e 15 da Classe Access 2.3.

O número total de velejadores está situado em 38 o que, de acordo com João Duarte “é um recorde”. E realça: “As perspectivas apontam para atingirmos um recorde tanto no número de barcos como de velejadores”.

Se incluirmos dirigentes, treinadores, velejadores e voluntários, o Campeonato Nacional da Classe Access envolverá mais de 80 pessoas.

Esta é a primeira vez que o Clube Naval da Horta organiza esta prova, e a segunda em que participa, tendo a primeira sido em 2013, em Viana do Castelo.

A parceria do CNH e da APADIF ao implementar o Projecto Vela Para Todos – Faial Sem Limites, visou “a inclusão de todos na prática da Vela, destruindo barreiras e preconceitos que ainda possam existir”, refere o texto de apresentação deste Projecto, oficialmente iniciado a 3 de Dezembro de 2011.” Ao criarmos uma Escola de Vela para todos (Vela Adaptada), que promova o direito à diferença e a igualdade de oportunidades, damos o nosso contributo para a mudança de mentalidades, abrindo portas para uma sociedade mais justa e tolerante, onde todos possam participar e interagir”, pode ler-se no mesmo texto.