Projecto “School at Sea”: Mariana Rosa

Mariana Rosa nasceu na ilha do Faial há 15 anos. É velejadora do Clube Naval da Horta (CNH) e detentora de alguns títulos, entre eles o de Campeã Regional em Femininos e Vice-Campeã Regional em Absolutos, tendo alcançado um honroso 2º lugar em Femininos nos Jogos das Ilhas 2017, que este ano decorreram na Martinica.

É aluna da Escola Secundária Manuel de Arriaga da Horta (ESMA) e no ano letivo de 2017/2018 vai frequentar o 10º ano de escolaridade. Embora não saiba o que quer ser em termos profissionais, gosta de Ciências e, ultimamente, tornou-se numa excelente aluna a Matemática.

Mas mais importante do que tudo isso, é o facto de estar prestes a cumprir o seu mais recente sonho: integrar o “School at Sea”, um projeto educativo holandês, que reúne alunos de todo o mundo, do ensino secundário, com idades entre os 14 e os 17 anos. A bordo do “Thalassa” (que veio substituir o antigo “Regina Maris”), jovens de várias nacionalidades vão viver 6 meses de experiências únicas e incríveis que os deixarão mais preparados enquanto velejadores e cidadãos.

Depois dos alunos do Faial, Júlia Vieira Branco, Bartolomeu Ribeiro, Emília Vieira Branco, Carolina Salema e Jorge Medeiros, é agora a vez de Mariana Rosa e a amiga, Miriam Pinto, que tem 17 anos e vai agora para o 12º ano, se fazerem ao mar numa viagem de 180 dias: de 21 de Outubro de 2017 a 21 de Abril de 2018.

O Gabinete de Imprensa do CNH entrevistou esta simpática velejadora, que poderá tornar-se numa skipper profissional.

Gabinete de Imprensa do CNH: Como é que nasce este sonho?
Mariana Rosa: Um amigo convidou-me a inscrever-me no projeto e depois de conversar com os meus pais decidi-me inscrever. Da última que vez que o barco passou pelo Faial aproveitei para ir a bordo com o objetivo de conhecer melhor este projeto e tenho falado muito com o Jorge Medeiros (de quem sou amiga por causa de Vela) que fez parte do último grupo de faialenses que embarcou nesta aventura.

Gabinete de Imprensa do CNH: Quando é que começou este processo?
Mariana Rosa: Inscrevi-me no dia 31 de Janeiro deste ano e a resposta chegou a 6 do corrente. Após a primeira fase, que foi reunir e enviar a documentação necessária, passávamos à fase seguinte, que era a seleção feita na Holanda, onde estive de 29 de Junho a 3 de Julho. O objetivo era conhecermo-nos. Por isso, convivemos e realizámos diferentes atividades. Os candidatos foram divididos em grupos e uma das tarefas foi preparar os ingredientes necessários para cozinhar diferentes pratos.
Durante estes dias não era permitido contactos com o exterior. Eu e a Miriam somos as únicas estrangeiras (portuguesas) neste conjunto de 35. Os restantes são todos holandeses.
A Miriam é muito amiga da Júlia Vieira Branco, que também já integrou este projeto.   

“O mais difícil vai ser a língua”

Gabinete de Imprensa do CNH: O que te parece que vai ser o mais difícil?
Mariana Rosa: A língua. Conversei com a Carolina Salema e ela explicou-me aquilo que preciso de saber. Já vou com algumas orientações.

Gabinete de Imprensa do CNH: O que esperas desta viagem?
Mariana Rosa: Que me dê bases para o meu futuro profissional, pois não sei que área quero seguir. Sei que será algo relacionado com o mar, mas ainda não me decidi. O meu pai sugeriu que eu fosse skipper profissional... Também posso enveredar pela Escola Náutica. Está tudo em aberto.

Gabinete de Imprensa do CNH: Este vai ser o período mais longo longe da família e de casa...
Mariana Rosa: Sim, embora viaje sozinha desde os 11 anos. Em 2016 fui à Dinamarca visitar uma tia.

Gabinete de Imprensa do CNH: É muito tempo para uma filha única estar longe da vista dos pais... Gostavas de ter irmãos?
Mariana Rosa: Eles já estão habituados a que eu me ausente. Sim, gostava muito e desde criança que pedia para ter irmãos, mas nunca me ouviram. Nem sequer tenho primos no Faial.

Gabinete de Imprensa do CNH: Mas em compensação tens muitos amigos e tudo aquilo que queres!
Mariana Rosa: É verdade que tenho muitos amigos, mas não tenho tudo o quero mas, sim, tudo o que preciso.

Gabinete de Imprensa do CNH: Em que fase está a angariação de patrocínios?
Mariana Rosa: Continuo a trabalhar nisso. Já tenho algum dinheiro, mas este ano o montante aumentou e já está em cerca de 23 mil euros, o que representa mais de 3.700 euros mensais. Penso que a quantia aumentou pelo facto de terem adquirido um novo barco, chamado “Thalassa”, de que já vi fotografias e parece mesmo muito bom.

Gabinete de Imprensa do CNH: Quem não tem o montante necessário não embarca?
Mariana Rosa: Alguns velejadores não conseguem angariar o dinheiro que é estipulado e têm sido ajudados pela Fundação do projeto “School at Sea”. Penso que isso vai voltar a acontecer este ano. No entanto, parece que há menos dinheiro disponível. Como tal, aqueles que se esforçarem menos na angariação de fundos, no fim poderão ser excluídos, tendo em conta que a Fundação só deverá ajudar os que tiverem trabalhado mais. Além dos patrocínios recebidos, tenho realizado algumas atividades e espero conseguir grande parte desta verba.

Gabinete de Imprensa do CNH: É necessário dispor do dinheiro todo em Outubro?
Mariana Rosa: Não. A angariação pode ir sendo feita à medida que o projeto se vai desenrolando. Mas há uma parte inicial que tem de ser entregue pelos pais.

Gabinete de Imprensa do CNH: Além das bases para o caminho futuro, para que é que esta viagem também serve?
Mariana Rosa: É importante a outros níveis. Preciso de aprender a respeitar os outros e no barco é possível fazer isso atendendo ao espaço existente e ao número de pessoas a bordo; também vou estudar sozinha e aprender a gerir o tempo, entre outros aspetos.

“A Vela é uma parte da minha vida”

mariana rosa 3 2017

“Na Canoagem aprendi ensinamentos que me ajudaram na Vela”

Gabinete de Imprensa do CNH: Já praticaste outros desportos além da Vela?
Mariana Rosa: O primeiro foi a Vela, tendo começado aos 6 anos no CNH. Dois meses depois desisti e inscrevi-me no ballet e no violino. Mantive o violino até a este ano, tendo feito o 5º grau. Saí do ballet e enveredei pelo hip-hop, tendo desistido também este ano.
Aos 11 anos comecei a fazer Canoagem, tendo parado aos 13 e optado pela Vela. Gostava da Canoagem mas queixei-me de problemas nas costas.
Comecei a gostar de andar de barco e percebi que devia regressar à Vela. Na Canoagem aprendi ensinamentos que me ajudaram na Vela.

Gabinete de Imprensa do CNH: O que representa a Vela para ti?
Mariana Rosa: A Vela é uma parte da minha vida. Passei este ano todo a treinar, incluindo os fins-de-semana. Todo este meu percurso na Vela constitui uma boa história para eu transmitir aos meus filhos... (risos). A Vela vai ajudar-me na minha carreira futura, porque este desporto me permite apreender noções para tudo.

Gabinete de Imprensa do CNH: Achas que se estivesses no Continente poderias ser uma velejadora com outros (melhores) resultados?
Mariana Rosa: Sim, porque as condições são diferentes e há mais competição. No entanto, também penso que lá poderia não aprender o que aprendo aqui.

Gabinete de Imprensa do CNH: Como defines o Treinador (Duarte Araújo)?
Mariana Rosa: É um bom treinador e é exigente à sua maneira. Quer que os velejadores evoluam, o que é natural, e por isso puxa por nós.

mariana rosa 4 2017

“No mar somos adversários e em terra amigos”

Gabinete de Imprensa do CNH: Estavas à espera de alcançar estes resultados?
Mariana Rosa: Não, mas sei que tenho me esforçado e treinado bastante, pelo que os resultados refletem esse trabalho. Quem não trabalha não consegue. Sei que nem sempre as coisas correm bem, mas no meu caso há uma correspondência entre o esforço/empenho e os resultados. Mas há muito a melhorar.

Gabinete de Imprensa do CNH: Vocês são todos amigos ou no mar esquece-se a amizade?
Mariana Rosa: No mar somos adversários e em terra amigos. Mas isto depende muito de cada um, pois há pessoas que não sabem perder e há outras que nos apoiam e ajudam mesmo sabendo que podem ficar para trás.

Gabinete de Imprensa do CNH: O facto de seres skipper do barco de família (“Maresia II”) também ajuda na Vela?
Mariana Rosa: Só assumi essa função este ano, mas o meu pai incentivou-me bastante e tem plena confiança em mim. Eu gosto de estar ao leme, embora reconheça que ainda há muitas coisas que não sei fazer a bordo.

“O ideal seria treinarmos com equipamento novo”

Gabinete de Imprensa do CNH: Dá para conciliar a Vela com a Escola e outras atividades?
Mariana Rosa: Sim. É cansativo pelo facto de ser preciso treinar muito, mas uma pessoa vai-se habituando. Sinto-me bem no mar. Até aqui tem dado para conciliar tudo, mas a Vela está a ficar muito exigente. Tenho mantido sempre as minhas notas (4 e 5), sendo necessário gerir bem o tempo.

Gabinete de Imprensa do CNH: Sentes-te bem no CNH?
Mariana Rosa: Muito bem, dou-me com todos e são bastante simpáticos. O ideal seria podermos treinar com barcos e umas velas que não tivessem 15 anos, mas adquirir equipamento novo para todos os velejadores é caro.

Gabinete de Imprensa do CNH: O facto de a mãe pertencer à Direção é bom ou é mau?
Mariana Rosa: É bom para o departamento dela. No início, algumas colegas disseram-me que eu iria ser muito controlada, mas isso não tem acontecido. Tenho plena liberdade e o ambiente é perfeitamente normal.

Bilhete de Identidade

Gabinete de Imprensa do CNH: Quais são os teus passatempos?
Mariana Rosa: Gosto muito de ouvir música e quando tenho tempo livre aproveito para descansar.

Gabinete de Imprensa do CNH: Tens animais?
Mariana Rosa: Neste momento tenho uma gata, a quem faço festinhas, sendo a mãe quem cuida dela. Queria ter um cão, pois o meu foi atropelado. Já tive peixes e hamsters, mas como vou para esta viagem, não vou arranjar mais nenhum, se bem que disse aos meus pais que um cão era bom para eles compensarem a minha falta (risos).

Gabinete de Imprensa do CNH: Qual o teu prato favorito?
Mariana Rosa: Adoro massas e detesto azeitonas e papas.

Gabinete de Imprensa do CNH: Sabes cozinhar?
Mariana Rosa: Sim. E costumo cozinhar a bordo do meu barco.

Gabinete de Imprensa do CNH: E passas bem no mar?
Mariana Rosa: Às vezes enjoo, mas depois de vomitar fico bem.

Gabinete de Imprensa do CNH: Qual é a tua cor preferida?
Mariana Rosa: Verde água.

Gabinete de Imprensa do CNH: O que desejas muito?
Mariana Rosa: Ter filhos!

Gabinete de Imprensa do CNH: Acentuaste bem o plural...
Mariana Rosa: Sim, pois não quero que seja filho único como eu.

Gabinete de Imprensa do CNH: Tens namorado?
Mariana Rosa: Não. (risos).

Gabinete de Imprensa do CNH: Qual a tua qualidade mais evidente?
Mariana Rosa: Sou muito sorridente e ainda mais sensível. Choro com muita facilidade.

Gabinete de Imprensa do CNH: E o defeito?
Mariana Rosa: Ser demasiado sensível. Fico chateada comigo própria.

Gabinete de Imprensa do CNH: O teu signo é...?
Mariana Rosa: Gémeos.

Gabinete de Imprensa do CNH: Tu és...?
Mariana Rosa: Exigente comigo própria.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.