Canoagem do CNH: Prova do Dia da Marinha contou com 14 atletas e um iatista francês

A Prova do Dia da Marinha, da Secção de Canoagem do Clube Naval da Horta (CNH) contou este ano com um estrangeiro. Além dos 14 atletas do CNH, um iatista francês, que acabava de aportar de veleiro à internacional Marina da Horta, como gosta de Canoagem,  fez questão de participar.

A Prova – que decorreu na manhã des sábado, dia 18, ficou marcada pelo bom tempo e a grande adesão dos canoístas, o que deixou o Treinador de Competição – Hugo Parra – e os Dirigentes da Secção – Susana Rosa e José Fernandes – muito orgulhosos.

O Treinador faz o relato desta prova do calendário da Canoagem faialense: “Correu muito bem! O tempo esteve excelente, com pouco vento, o que permitiu dar uma volta mais larga pela Baía. Os canoístas realizaram a Prova de Fundo – 5 quilómetros para os Cadetes, Juniores, Seniores e Veteranos e 2 quilómetros para os Infantis e Menores – que serviu, também, como treino, atendendo a que este ano, as condições têm dificultado bastante a ida para o mar. Esperemos que possam recuperar daqui para a frente”.

CNH tem um relacionamento “intenso e próximo” com a Autoridade Marítima Nacional

Após a realização das provas de Canoagem e de Vela Ligeira, houve um lanche-convívio com Entrega de Prémios – ambos oferecidos pela Marinha – no Pavilhão Multiusos do CNH, onde se reuniram Atletas, Dirigentes, Treinadores, Sócios, Colaboradores e Funcionários do Clube, bem como o comandante Rafael da Silva, Capitão do Porto, e o seu Adjunto, Paulo Gerreiro, além de outros elementos da Autoridade Marítima Nacional.

“Estamos numa actividade desportiva que é muito frequente neste Clube ano após ano, Inverno após Inverno, Primavera após Primavera, Verão após Verão, e há muitas iniciativas desportivas deste género”, começou por referir José Decq Mota, Presidente da Direcção do CNH, na sua curta intervenção. Este Dirigente sublinhou que as regatas realizadas naquele dia – 18 de Maio – além de constarem dos contratos-programa que o Clube tem com a Direcção Regional do Desporto (DRD) dentro dos calendários de competição em Vela e Canoagem, distinguem-se das restantes por uma razão: são integradas nas comemorações do Dia da Marinha.

“Isto acontece – e eu tenho a plena consciência de que estou a falar maioritariamente para pessoas muito mais novas do que eu – porque a ligação que há entre o Clube Naval da Horta e a Marinha – e as suas várias expressões, nomeadamente a que é designada pela Autoridade Marítima Nacional – é a projecção do relacionamento que há entre o CNH, a sociedade açoriana e a Marinha de Guerra Portuguesa, e que se traduz num relacionamento intenso e próximo”, destacou o mais alto representante desta instituição náutica faialense.  

“Fazemos questão de, todos os anos, nos associarmos às comemorações do Dia da Marinha”

José Decq Mota prossegiu recordando que “nesta parte do território nacional chamada Açores, situada no meio do Atlântico, muitas vezes acontecem situações específicas, especiais e catastróficas, que obrigam a intervenções de apoio”. “E na primeira linha dessas intervenções de apoio ao longo dos decénios, esteve sempre e continua a estar –  com mais ou menos meios materiais e humanos – a Marinha!”, vincou o Presidente da Direcção do CNH, afirmando que, “é, portanto, com toda a naturalidade que o relacionamento do CNH com a Marinha resulte dessa situação, dessa tradição consolidada e dessa prática permanente que tem sido boa”. “Sendo assim, nós, CNH, fazemos questão de, todos os anos, nos associarmos às comemorações do Dia da Marinha”, asseverou José Decq Mota, afirmando que “umas vezes as actividades correm melhor e outras menos bem, como foi o caso deste sábado, em que o vento, ou melhor a falta dele, não ajudou no que respeita à Vela Ligeira mas foi excelente para a Canoagem”.

Este Dirigente fez questão de deixar palavras de reconhecimento ao envolvimento do Capitão do Porto da Horta e a todo o pessoal da Capitania; a quem enquadrou e organizou o Troféu do Dia da Marinha da Secção de Vela Ligeira; ao Presidente da Comissão de Regata, António João; e a todos os que colaboraram nas várias funções.

“E no que respeita à Vela especificamente, gostava de dirigir uma palavra especial, porque, como sabem, o nosso Treinador da Escola de Vela, Duarte Araújo, está em convalescença (o que se vai manter ainda por mais algum tempo) e encontra-se, por isso, ausente. Não obstante isso, tivemos hoje muito boas colaborações de Sócios com experiência, que fizeram o enquadramento dos velejadores em todas as Classes: Hansa (Vela Adaptada), 420, Laser e Optimist. Agradeço a todos os que trabalharam nesta vertente”, evidenciou o Responsável máximo pelo CNH, que prosseguiu na sua linha de enaltecimento e valorização: “Em relação à Canoagem, observei que as condições eram muito boas e que o número de atletas foi muito significativo. Há que prosseguir esta senda de evolução de uma actividade que teve alguns anos em que foi inconstante mas hoje encontra-se sólida no CNH, o que nós muito prezamos e queremos apoiar. A todos, todos, todos, muito obrigado!” 

Rafael da Silva: “É para vocês que também nós trabalhamos todos os dias”

O Capitão do Porto também usou da palavra para deixar um sincero obrigado ao CNH, personificado nos seus Atletas, Dirigentes, Associados e Colaboradores que tornaram possível este dia. “Tal como referiu o Presidente do CNH, no cerne da Marinha e da Autoridade Marítima Nacional está, principalmente, e podemos começar por aí, o uso regular do mar. Depois vem uma segunda preocupação, isto em termos de missão militar e de garantia da soberania nacional. Mas ainda vamos mais além. Queremos um uso do mar sustentável e em segurança e tudo isto só faz sentido se tivermos pessoas a fazer o uso do mar e essas pessoas são vocês e é para vocês que também nós trabalhamos todos os dias”, ressaltou o comandante Rafael da Silva, focando-se nos atletas.

“É com imenso gosto que, uma vez mais, pude verificar esta Baía da Horta cheia de juventude e de outros menos jovens por fora mas que o são sempre no seu interior, que contribuiram para esta festa, onde nos reunimos todos. O meu muito obrigado a todos e por favor, usem o mar sempre em segurança!”

No decorrer da Entrega de Prémio, o Capitão do Porto da Horta fez uma ressalva, notando que os troféus femininos eram diferentes dos restantes e esclareceu a razão de ser dessa distinção. “É porque a Marinha está empenhada em ter mais senhoras no mar”. “O mar é para todos mas queremos vê-lo mais bonito”, rematou.

As Classificações podem ser consultadas nesta ligação.

Mais momentos desta regata podem ser vistos na Galeria de Fotos.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.